Membros


Ana Carolina Amorim da Paz: Graduada em Psicologia pela Universidade Federal da Paraíba, especialista em Saúde Mental (CINTEP/PB) e em Educação em Saúde p/preceptores do SUS (IEP/Hospital Sírio Libanês). Atuou em diversos cenários da Rede de Atenção Psicossocial do SUS, em serviços de Saúde Mental e na Atenção Básica (CAPS I, CAPS AD e NASF). Possui experiência na assistência, gestão de serviços e Educação Permanente em Saúde. Atuou como preceptora no PET Saúde Mental da UFPB/UFPB. Atualmente é mestranda no Programa de Pós Graduação em Antropologia pela Universidade Federal da Paraíba (PPGA/UFPB) e bolsista Capes. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB). Desenvolve pesquisa na área de Saúde Mental e antropologia urbana, em especial com o tema do consumo de drogas e loucura, políticas públicas sobre drogas e em Saúde Mental, sociabilidade, territorialidades, estigmatização.

Anny Glayni: Possui Licenciatura em Ciências Sociais (UFCG), Bacharelado em Ciências Sociais com Habilitação em Antropologia (UFCG). Mestra do Programa de Pós- Graduação em Antropologia (PPGA/UFPB). Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB), desenvolve pesquisas sobre culturas urbanas e mobilidade.

Claudiovan Silva: Possui Graduação em Ciências Sociais (UFPB) e atualmente é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS/UFPB). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB), desenvolveu pesquisa sobre skate, institucionalização deste esporte, e atualmente vem desenvolvendo pesquisa sobre skate e espaço público, formas de apropriações, sociabilidades e conflitos nestes espaços.

Deyse Brandão: Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Rádio e TV. Graduanda em Ciências Sociais (Licenciatura) pela mesma instituição. Mestranda em Antropologia (PPGA/UFPB). Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB). Atualmente tem suas pesquisas voltadas para as temáticas de culturas juvenis, novas mídias, identidade e consumo.

Érika Catarina de Melo Alves: Mestranda em Antropologia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Atualmente é bolsista Capes no Programa de Pós-graduação em Antropologia (PPGA-UFPB). Na graduação foi bolsista do Programa de Educação Tutorial em Antropologia (PET-Antropologia) financiado pelo MEC-Sesu. Desenvolve pesquisas com as Cambindas no interior da Paraíba, trabalhando com os seguintes temas: cultura popular, identidade, patrimônio imaterial, etnicidade, tradição de conhecimento, e dinâmica territorial. Sendo suas principais áreas de interesse: Relações Interétnicas, Antropologia do Conhecimento e Antropologia da Técnica.

Jocélio de Oliveira: Mestrando em Comunicação e Culturas Midiáticas pela Universidade Federal da Paraíba. Estuda as relações telejornais, audiências e violência urbana. Jornalista, formado pela Universidade Estadual da Paraíba (2009). Estudou história (2005-2006) na Universidade Federal de Campina Grande. Desenvolveu pesquisas sobre as relações mídia e ciência, com enfoques ciência, tecnologia e sociedade (CTS) e comunicação pública da ciência. Atualmente desenvolve sua pesquisa junto ao Grupo de Pesquisa em Etnografias Urbanas (GUETU/UFPB). Foi editor do Bom Dia Paraíba, telejornal das TVs Cabo Branco e Paraíba, emissoras afiliadas à rede Globo na Paraíba. Foi editor da revista cultural Fome de Quê? (FMQ?) e atuou em mídias comunitárias. Tem interesse em consumo/recepção midiática, etnografia de mídia, mídia e cotidiano, mídia e experiência estética.

Maria Eduarda Gimenes: Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo. Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB), desenvolveu pesquisas na área de antropologia urbana com foco nas intervenções possíveis neste espaço, a exemplo da pichação e do graffiti. Desenvolve pesquisa na periferia de João Pessoa, no bairro do Grotão, investigando a criação de identidades e sociabilidade a partir do Rap.

Maria Eduarda Gimenes: Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo. Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB), desenvolve pesquisas na área de antropologia urbana com foco nas intervenções possíveis neste espaço, a exemplo da pichação e do graffiti.

Marco Aurélio Paz Tella: Professor adjunto do Departamento de Ciências Sociais (Campus IV - UFPB) e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Líder do GUETU e membro do NEABI (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas, da UFPB). Nos últimos anos vem desenvolvendo pesquisas na área de antropologia urbana, culturas juvenis, movimento hip hop, identidade e percepção de jovens negros sobre relações étnico-raciais.

Renan Soares de Araújo: Graduando em Nutrição pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB). Desenvolve pesquisas na área de antropologia urbana. Atualmente vem desenvolvendo uma pesquisa na comunidade Boa Esperança, localizada no bairro do Cristo Redentor em João Pessoa/PB, investigando as formas de apropriação, criação de identidades e sociabilidade, a partir do processo de intervenção urbana que vem se desenvolvendo nesta região, ocasionado pela construção de uma horta comunitária e de um espaço de diálogo situados em um terreno ocioso às margens da nascente do Rio Jaguaribe.

Luciana Maria Ribeiro de Oliveira: Graduanda em Psicologia Clínica e Especialista em Psicologia Social pela Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE/PE). É Mestre e Doutora em Antropologia (PPGA/UFPE). Atualmente é professora e pesquisadora Pós-Doutoranda do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD/CAPES) vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA/UFPB). É uma das líderes do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB) e suas pesquisas giram em torno principalmente de temas relacionados com juventude, gênero, sexualidade, subversão, violência, criminalidade, cárcere e segurança pública.

Silvana Nascimento: Professora do Departamento de Antropologia da USP e pesquisadora do Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana (NAU-USP). Atuou, de 2007 a 2012 como docente do departamento de Ciências Sociais (área de Antropologia) na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), campus Litoral Norte. Atualmente, é pesquisadora colaboradora do Grupo de Pesquisa em Etnografias Urbanas (GUETU) e atua nos seguintes temas: antropologia urbana, relações entre campo e cidade, fronteiras urbanas, gênero, sexualidade, sociabilidade e festas.

Tássio José Ponce de Leon Aguiar: Mestrando em Comunicação e Culturas Midiáticas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e estudante de Direito pela mesma instituição, em que também se graduou jornalista. Atualmente pesquisa a construção midiática sobre adolescentes autores ou vítimas de atos infracionais/crimes em dois jornais impressos paraibanos. Possui interesse nas representações midiáticas e trabalha com temas como juventude, crime e criminalização, sensacionalismo, espetacularização da notícia, estigmatização, desvio e interesse público. Possui experiência como docente, na condição de estagiário, e, como jornalista, nas áreas de assessoria de comunicação e jornalismo impresso, tendo esta última atuação lhe rendido dois prêmios.

Tarsila Chiara Santana: Possui Graduação em Turismo (FUNEC, 2008). Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB). Tem interesse de pesquisar no campo do Turismo e da Antropologia, com ênfase em Turismo Cultural, Turismo Social, Antropologia do Turismo, Antropologia Urbana e Antropologia do Consumo. Atualmente tem pesquisado sobre o consumo de música eletrônica, modos e estilos de vida, sociabilidade urbana.

Thiago Oliveira: Bacharel em Tradução pela UFPB com atuação e experiência no campo da antropologia urbana e dos estudos de gênero e sexualidade. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB), suas pesquisas se localizam na interface entre essas duas áreas temáticas na antropologia através da reflexão sobre temas como a pornografia, práticas sexuais dissidentes e movimentos sociais relacionados à diversidade sexual. Nos últimos anos suas pesquisas têm se voltado para discutir as relações entre cidade e sexualidade em etnografias voltadas para o circuito das trocas eróticas e sexuais masculinas em João Pessoa.

Verônica Guerra: Bacharel em Antropologia com habilitação em Antropologia Visual e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA/UFPB). Membra do Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnografia Urbanas (GUETU/UFPB), desde 2009 desenvolve pesquisas nos campos da antropologia urbana e estudos de gênero e sexualidade com foco nas experiências de travestilidade levando em consideração os saberes locais e a sociabilidade nas cidades de Mamanguape, Rio Tinto e Baia da Traição- Litoral Norte da Paraíba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário