quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Leituras da cidade: "O Bonde, esse eterno sofredor"

No pequeno documentário que segue abaixo o cineasta francês Jean Manzon apresenta uma versão sobre a cidade do Rio de Janeiro em meados da década de 1960 através do bonde, um dos transportes de massa mais utilizados naquele momento na cidade. O problema dos transportes não é novidade nos estudos urbanos, e na contemporaneidade, com o crescimento das cidades e a centralização das atividades produtivas (o trabalho de forma mais específica) em lugares cada vez mais distantes das regiões de moradia, o problema da (falta de) mobilidade vem se atenuando e mostrando-se de forma mais explícita aos olhos do público.
No documentário Manzon tenta dar voz ao bonde, hora colocado como vítima, hora com ferramenta utilitarista; nesse ínterim, o cineasta compõe uma perspectiva detalhista e de riquezas múltiplas ao apresentar, desde os itinerários do transporte, os modos de vida e formas pelas quais as pessoas usam e interagem com os transportes, a variação no público frequentador até o processo de substituição do bonde por outras formas de transporte. Uma película rara e que pode render muitas discussões para se pensar formas de ler a cidade em contextos de crescimento e expansão. Boa sessão a todos e todas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário